A vida é mais tempo alegre do que triste

À escrivaninha. 27°C lá fora. Céu nublado. Dia chuvoso. Olho pela minha janela e vejo um pássaro voando sobre o telhado do prédio em frente, enfrentando a chuvinha fina. Os bem-te-vis cantam tímidos. Talvez não gostem de dias nublados… Conforme o tempo passa, as coisas se desgastam. A natureza segue impávida. Conforme o tempo passa, … Ler mais

Um ano-novo sem resoluções

À escrivaninha. 31°C lá fora. Céu ensolarado, com muitas nuvens brilhantes. Uma brisa quente entra pela janela e me aquece a alma. Preciso mesmo deste aquecimento no primeiro dia do ano-novo. Desejo apenas aproveitar o ano e, simplesmente, não pretendo me envolver em nada muito profundo. Nada de resoluções. Isso significa mais silêncio e mais … Ler mais

Apenas faça o que sempre quis fazer

À escrivaninha. 31°C lá fora. Céu limpo e brilhante. A brisa fria da última semana se foi, e um ar quente entra pela janela. Os passarinhos estão bem discretos hoje. Li uma citação, há pouco, que dizia: “Aproveite as pequenas coisas, pois, um dia, você pode olhar para trás e perceber que elas eram as … Ler mais

Apressar em diminuir o ritmo

À escrivaninha. 23°C lá fora. O céu está encoberto e sombrio. Uma ventania agradável e assustadora prenuncia a queda da temperatura novamente. Que pena. Surpreendi-me estressada por coisas pequenas, por problemas menores. Por que essa necessidade repentina de resolver pendências tomou conta de mim? Antes, eu estava me sentindo tão confortável por deixar que as … Ler mais

Escrever em um diário e protegê-lo é discrição

À escrivaninha. 19°C lá fora. Céu azul cinzento com grandes borrões de nuvens. Sinto muito frio. Minhas mãos estão congeladas. Vem, Primavera, por amor! Há algumas semanas, alterei o modo de iniciar o meu dia. Antes, pulava da cama e ia fazer barulho na cozinha, em busca de café. Agora, gosto de ficar em silêncio, … Ler mais

De que sentimentos preciso nestes tempos tão estranhos?

À escrivaninha. 23°C lá fora. Céu encoberto e uma brisa fria sugerem meias para aquecer os pés. Estive pensando a respeito de mudanças necessárias em meu estado de espírito, daqui para a frente. Há sentimentos que, definitivamente, precisam ser alimentados. Outros, devem ser exterminados de minha vida. Nestes anos de pandemia precisamos de muita sabedoria para equilibrar emoção … Ler mais

Podemos esperar alguma calma mesmo após uma terrível tempestade?

À escrivaninha. 20ºC lá fora. Choveu muito desde ontem. Chuva forte, intensa, como intensos têm sido os dias. Agora, há pouco, a chuva deu uma trégua. E eu fiquei refletindo: há paz depois da tempestade? A pandemia segue ceifando vidas. Embora, pessoalmente, esteja bem de saúde, lamento por todas as perdas, incluindo as minhas, que amigos, … Ler mais