Um ano-novo sem resoluções

À escrivaninha. 31°C lá fora. Céu ensolarado, com muitas nuvens brilhantes. Uma brisa quente entra pela janela e me aquece a alma. Preciso mesmo deste aquecimento no primeiro dia do ano-novo. Desejo apenas aproveitar o ano e, simplesmente, não pretendo me envolver em nada muito profundo. Nada de resoluções. Isso significa mais silêncio e mais … Ler mais