Não temos grandes horas de alegria

À escrivaninha. 26°C lá fora. Finalmente, o clima esquentou, às vésperas da primavera. Adoro calor, mesmo no inverno.

Estou tentando espairecer a cabeça, nestes dias de distanciamento social. Nos últimos tempos, procuro me concentrar nos raríssimos momentos preciosos e não espero grandes horas de alegria. Encontrar pequenos prazeres diários é como descobrir a fonte de relaxamento e calma para o meu dia.

O único momento que temos é aquele que estamos vivenciando agora. Não temos controle sobre os acontecimentos ao nosso redor, mas podemos escolher como reagiremos a eles e o que faremos para suavizar essas circunstâncias adversas.

Durante o dia, tento manter a mente aberta para captar algo belo e agradável e parar, admirar e agradecer. É fácil ser influenciada por momentos estressantes. Eles nos encontram. Os momentos felizes precisam ser capturados por nosso coração e mente. E guardados na lembrança como antídotos para as horas de tristeza.

Relaxe. Apenas aproveite o agora e deixe o amanhã cuidar de si mesmo. Vá em frente! Faça o que você ama! Apenas faça!

Estou ciente de que não posso trazer ordem ao caos, mas me esforço para que o estresse emocional não somatize em meu corpo. Tenho olhado para dentro de mim, exercitado o silêncio, contemplado a calma. Aprender a encontrar os pequenos prazeres e a alegria das coisas simples é algo com o qual todos podemos nos beneficiar agora.

A nossa vida é essencialmente ligada ao estresse e ao conflito. Há tantas circunstâncias que nos impedem a realização de nosso desejo de ser feliz. Prosseguir na busca por bem-estar e serenidade em meio a adversidades é o meu projeto de felicidade nestes dias conturbados.

Fique bem. Esteja feliz.

Imagem:  Bekka Mongeau no Pexels