Colocar-me no topo de minha lista


À escrivaninha. 26°C lá fora. Céu nublado e triste. Primavera em clima de melancolia.

Estou aposentada e com mais tempo em casa, devido à pandemia. Entretanto, em alguns dias, ainda sinto que não há horas suficientes para tudo que quero fazer.

Eu sou uma pessoa que planeja. Mesmo na aposentadoria, preciso ter listas e agendas. Seleciono atividades ao longo da semana que se encaixam em meu atual estilo de vida. O planejamento me ajuda a dar continuidade às coisas que funcionam para mim e me estimulam a manter o foco nas que preciso impulsionar.


Nos últimos meses, tenho cultivado o prazer de ler e escrever, de ouvir músicas e podcasts, de assistir a séries e filmes, e de cozinhar novas receitas. Tenho me policiado a escolher a alegria e encontrar algumas horas de felicidade nestas pequenas coisas. E a viver minha melhor vida todos os dias.

Tenho observado, entretanto, que, quando estou nestas atividades agradáveis, minha mente foge para outro lugar. Frequentemente estou pensando naquele e-mail que preciso escrever, na ligação que preciso fazer, na roupa da máquina que precisa ser estendida, nas contas que tenho de pagar.

Não desejo a minha antiga vida, corrida e ocupada, com horários apertados para tudo. Em vez disso, pretendo estabelecer um ritmo lento e estar mais atenta a como e quando quero parar e relaxar.

Nessas ocasiões, obrigo-me a respirar para acalmar o coração e alma. Inspirar pelo nariz e expirar, suavemente, pela boca. Várias vezes, até minha mente sossegar e eu me lembrar de que não tenho de fazer nada agora. De que não preciso fazer nada depressa. Apenas colocar-me no topo de minha lista, relaxar e viver.

Foto de Polina Kovaleva no Pexels

2 comentários em “Colocar-me no topo de minha lista”

  1. Oi, Denise!
    Tem algumas frases da Ida Feldman que tornaram-se decorativa que dizem: “Enquanto você estiver vivo, haverá louça para lavar”, “Viver gasta”, “Resolvi uma insônia dormindo”. “Acabei de me lembrar que me esqueci”… Fazem sucesso porque os problemas são iguais para todos, alguns em maior grau e outros em menor grau. Então o melhor mesmo é relaxar, porque a mente relaxada sem pressão, resolve melhor os problemas! Os maiores deles são de os de saúde e financeiros. Será que compensa perder o sono por um problema financeiro? O conselho que dou para amigos que estão com esse problema é começar a resolver pagando as contas menores, porque o volume irá diminuir. É diferente ter apenas uma conta, do que ter 10 para pagar. A mesma conduta com outras coisas do dia a dia. Mas se estiver assistindo um filme ou lendo um livro, pensando em outra coisa para fazer, melhor fazer a outra coisa ou mudar a leitura ou o filme 🙂
    Quem foi hiperativo, será hiperativo até que consiga reeducar o cérebro. Isso pode levar tempo! 🙂
    Bom domingo e boa sorte!
    Beijus,

    Responder
    • Você tem razão, mas, se estou fazendo algo, não vou parar. Penso que a aposentadoria é momento de relaxamento. As questões domésticas entram na fila, nas listas. Mas a prioridade, ultimamente, precisa seu eu mesma, entende.
      beijo, menina

      Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.