Avaliando o ano que passou

À escrivaninha. 22°C lá fora. Céu nublado e dia fresquinho. Fim de ano é sempre época de “balanço”: pessoal e profissional. E sempre fazemos uma retrospectiva do ano que está acabando, analisando as perdas e ganhos, e nos propondo às mudanças necessárias para que o próximo ano seja melhor.

Quase sempre não as cumprimos e até nos esquecemos de erros cometidos que são repetidos. Mas há também erros que cometemos que serviram-nos de lição e, certamente, a vida é feita de erros e acertos.

Ao transmitir a sua mensagem de Natal e Ano Novo aos fiéis católicos de todo o Brasil, o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) , Arcebispo Primaz do Brasil e de Salvador, Cardeal dom Geraldo Majella Agnelo, classificou o ano de 2005 como mais um ano “perdido no aspecto social” e disse esperar que 2006 seja o ano da “redenção” do governo federal em relação a programas que beneficiem diretamente o povo brasileiro. 

Eu não diria que foi um ano perdido, mas difícil. Classifico as perdas como experiências, como aprendizado. Não podemos mudar o passado, porém passamos a ser mais atentos no futuro. E o futuro é cada ação presente.

Balanço pessoal

Bem, fazendo o meu balanço pessoal, tive perdas enormes, mas também recebi muitas bênçãos. Tive conquistas importantes e momentos inesquecíveis, como a chegada da Princesinha ( jamais pensei em ser avó aos 48 anos…). Ganhei uma neta linda e me aproximei mais de meus filhos. Ser avó me engrandeceu, me tornou mais feliz, mudou minha vida, me tornou mais sorridente, mais plena!

Também foi o ano de minha estréia na blogosfera, e, através dela, ganhei amigos sinceros que permanecem comigo e com os quais me sinto à vontade. Também perdi pessoas especiais, após meses de sofrimento, mas que agora, certamente, descansam nos braços do Pai.

A experiência marcante de encontro com a morte me fez desacelerar meu ritmo de vida e valorizar as coisas que realmente importam. Estou aprendendo a perdoar, ser mais tolerante, não ser tão crítica e ser menos arrogante.

Fazendo a retrospectiva deste ano, percebo que me aproximei mais dos meus verdadeiros amigos. Fiz amigos novos, conheci gente especial, de todas as classes, raças e crenças. Convivi com pessoas importantes que me abriram portas profissionais. E aprendi a conviver. Aprofundei o contato com amigos que eram distantes. Também me afastei de outros, mas não foi por querer ou planejado. A vida às vezes nos separa de quem gostamos.

Por algum momento pensei ter encontrado o amor da minha vida, mas … Por outro lado, fiquei mais feminista e dura com os homens. Briguei demais. Perdi tempo com alguém que não valia a pena. Ou talvez eu tenha sido muito exigente… Descobri que pessoas queridas nem sempre sentem o mesmo por mim. Chorei pouco. Gastei muito dinheiro, amassei meu carro, mudei pra uma casa enorme e linda.

Agradeço a Deus por perdas e ganhos. A Ele entrego a direção de minha vida e projetos futuros. Continuo acreditando!


Feliz Ano Novo!

Foto de @Chrissy Langston na Unsplash

About the Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

You may also like these