Desejo de ser outra pessoa

Nossa Roda de Leitura esteve presente em mais uma edição do LuluzinhaCamp – o maravilhoso encontro anual de mulheres conectadas.

Com o oferecimento do WordPress.com,  reunidas na Casa de Viver, em São Paulo, o encontro foi regado a deliciosos quitutes, enriquecedoras conversas e calorosa troca de amizade e amor.

O tema de nossa Roda de Leitura esteve de mãos dadas com o foco das conversas no Luluzinhacamp: desejo de mudanças, de busca por novas alternativas  na vida.

Um dia os homens acordaram e estava tudo diferente:  das armas atômicas nem sinal havia e todos falavam a mesma língua, falavam poesia. (Roseana Murray. Sonho.)

Escolhemos, então, um poema de Roseana Murray para brindar, com leveza, aquele momento de reflexão e fruição:

DESEJO DE SER OUTRA PESSOA

Este é um desejo bem esquisito
mas existe.
Às vezes, exausta de mim,
queria ser outra pessoa
com outro rosto, outro corpo,
mas principalmente
outros talentos.
Se não sei dançar, a outra saberia,
se não sei nadar e não toco nenhum
instrumento,
a outra saberia.
Sendo medrosa, a outra seria
corajosa,
se não sei andar de bicicleta,
a outra andaria.
Se não sei costurar nem bordar
e a minha roupa anda sempre desarrumada,
a outra seria elegante.
E de trás pra frente, de frente
pra trás,
tudo seria diferente.

In Poço dos Desejos, Ed. Moderna, 2014

Este querer

Conversamos sobre este “querer”, esta vontade de ter os desejos satisfeitos. E desta expectativa de possuir ou alcançar algo a fim de enriquecer nossa vida pessoal, nossa carreira, nosso relacionamento. Ir além do que já somos, e nos colocarmos em uma condição ou circunstância determinada:  ser feliz!

Ser feliz e, principalmente, colocar em ação outros talentos, reconhecer novas habilidades, perceber nossa capacidade incomum. E, por que não, mudar facilmente de opinião ou de partido.

Nadar contra a corrente, remar contra a maré, encontrar e transpor obstáculos à consecução de nossos propósitos. Impressionando-nos e nos comovendo sempre. Destemidas, expressamos disposição, força e vigor para enfrentar problemas ou situações complicadas.

Enfim, com harmonia, leveza ou naturalidade, “de trás pra frente, de frente pra trás”, estaríamos dispostas a aceitar novas culturas, novos costumes ou diversidades; a nos desprender de tradições, a mudar de carreira, etc, etc, etc…

Então, “tudo seria diferente”. Tudo é o estado de ser completo, inteiro. Feliz, realizadas, poderosas. Sim! Nós podemos!

Imagem: Natalie Gunji

About the Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

You may also like these