Mente criativa após os sessenta

À escrivaninha. 24°C lá fora. Entardecer com céu limpo. O vento levanta as cortinas, afastando o calor do dia. Há previsão de chuvas para as próximas horas.

Já estou sexagenária há 4 anos, e, embora o número de dias pareça um pouco demais, o ritmo mais lento da aposentadoria me faz muito bem. Após os sessenta, ainda estamos investindo na vida, por mais algumas dezenas de anos. Espero.


Tenho buscado manter meu cérebro e meu corpo ativos. O desafio, nesta fase da vida, é usar os dois o máximo possível. Na realidade, a parte criativa do meu cérebro tem sido bastante utilizada. Por outro lado, não tenho sido gentil no cuidado com meu corpo…


A leitura tem estimulado o meu cérebro, pois leio vorazmente, todos os dias, pela manhã. Tenho, também, exercitado a escrita, diariamente. Eu havia planejado fazer uma pós-graduação, à distância, no próximo ano, mas perdi o prazo de inscrição. Uma falha de planejamento, confesso.

Em contrapartida, estou aprimorando minhas habilidades em produção de texto com um curso de Escrita Criativa. Blogar tem sido uma parte importante do aprendizado. Talvez eu não publique nenhum livro, nem realize meu sonho de ser escritora. Porém, estou exercitando meu cérebro e estimulando minha criatividade.

Após os sessenta, envelhecer pode ser divertido e interessante. Só preciso dar tanta atenção à atividade física, quanto dou à atividade mental. Quem sabe, ainda terei aquelas dezenas de anos pela frente.

Foto de Mart Production no Pexels

1 comentário em “Mente criativa após os sessenta”

  1. Uau!! Denise, se fizer exercícios sua atividade mental chegará a perfeição. Daí não haverá mais desculpas para escrever seu livro 🙂
    Muitas pessoas ficam com medo da aposentadoria por achar que ficarão ociosas, mas quem gosta de ler e escrever, sempre faltará tempo. Há muito o que preencher e gostei de saber dos seus planos.
    Beijus,

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.