Você quer feliz ou estar sempre certa?

À escrivaninha. 32°C lá fora. Céu nublado. Como nublados andam os dias neste país.

Nos últimos dias, considerei, seriamente, o que eu quero manter em minha vida ou deixar ir embora em 2021. Refleti e me comprometi a focar em coisas importantes para mim, como pessoa. Se algo está esgotando meus níveis de energia, seja fisicamente, mentalmente ou espiritualmente, então, vou deixá-lo ir e substituí-lo por algo mais enriquecedor para minha vida.

Este é um exercício difícil, principalmente quando envolve pessoas queridas. É uma maneira muito libertadora de  viver, mesmo quando inclui  terceiros, na maior parte do tempo. Em algumas circunstâncias, entretanto, é preciso abrir mão de nossa razão, de nosso desejo, de nossa preferência, para manter a alegria de conviver com quem amamos.

O que seria do verde, se todos escolhessem o vermelho?

Estou neste planeta há 6 décadas. Em toda a minha vida adulta, as pessoas com quem me relaciono e eu nem sempre concordamos.  Aprendi a  fazer concessões, embora pense estar com a  razão, em algumas situações. Se quero ser feliz, às vezes, é melhor estar “errada”. 

Embora eu geralmente considere que o meu pensamento esteja certo, tenho seguido esse consenso. Exceto se o assunto seja algo que me deixe desconfortável ou fira meus princípios e valores, tenho preferido ser feliz a estar certa!

Quando uma situação parece estressante, revejo meus valores para me trazer de volta ao que desejo e amo. Eles me lembram de o que é relevante: vida saudável, bons relacionamentos e autonomia. Se minhas crenças e valores ainda se alinham com quem desejo ser,  disponho-me a acatar a ideia de outrem. 

Onde estou colocando minha energia em 2021?

Sobre valorizar o importante e canalizar as energias nessa direção, percebo que, embora, eu possa fazer o que quiser e o que parece certo, nem sempre isto funciona quando decisões envolvem um grupo. Tenho de me obrigar a viver democraticamente, entre pessoas queridas.

Estar consciente de minhas vulnerabilidades é a única maneira de ser autêntica, de ser completamente eu mesma. É bem mais gratificante ter pessoas queridas por perto, mesmo que eu tenha de abrir mão de estar sempre certa.  Sou tão agradecida por isto.

Nada é mais importante que dar e receber amor. Estou cercada de pessoas com quem escolhi estar.  Quem se afastou, simplesmente, deixei ir. Nem sempre podemos manter conosco quem não quer ficar.

Reclamação ou gratidão?

Estou empenhada em ser feliz, mesmo que tenha de abdicar de estar certa o tempo todo. Isto tem me mantido relevante e engajada no mundo, conforme envelheço. Manter uma mentalidade fixa não serve a ninguém, muito menos a nós mesmos.

Podemos mudar nossa atitude e transformar nossa reclamação em gratidão? A vida me ensina que sim.

Imagem: Foto de Karolina Grabowska no Pexels

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.