Perseguindo um sonho

À escrivaninha. 24°C lá fora. Céu azul manchado de branco. Dia ensolarado de outono. Tenho sentido muito frias as noites. Ainda acordo com os bem-te-vis…

Seguir o sonho de me tornar uma escritora abrange muito mais do que apenas aprender a escrever. Tenho experimentado novas ferramentas e desenferrujado velhas habilidades de escrita. Há cerca de seis meses, ingressei em uma sessão de escrita apaixonada. Escrevo compulsivamente, com som de piano ao fundo, durante um período de tempo prolongado. Pode durar de cinco horas a doze horas.

Nos intervalos, preencho minha cabeça com pesquisas sobre o tema de minha história e cursos de técnicas de escrita. Às vezes, assisto a filmes ou a séries. Outras vezes, caminho pela rua atenta a tudo. Tento perceber o mundo ao meu redor como minhas personagens. Empenho-me em absorver as imagens, ações e ideias que fluem de minha mente para a história que estou produzindo. Quando observo as pessoas e as circunstâncias de diferentes ângulos, a criatividade aumenta.

Procuro me movimentar por alguns minutos a cada hora. Gosto de fazer caminhadas estacionárias (sem sair do lugar), alongamentos e andar pela sala. Uso esse tempo para pensar em uma cena, ou em um diálogo, ou em alguma etapa em que se encontre a obra e crio uma estratégia de como vou escrevê-los na próxima hora.

Leio muito. Leio novos autores e revisito os antigos. Leio meus favoritos. Tento identificar o que me atraiu para o mundo da história deles. Procuro ouvir a voz deles. Qual a sua personalidade. É convidativo e aconchegante, formal e solene ou frio e distante? O que faz meu coração pulsar?

A partir dessa busca por identificação, consigo escrever a partir da essência de minhas personagens. Posso entender suas mágoas e aflições; alegrar-me com sua felicidade; sentir seus medos, e então escrever em seu lugar.

Então é isso. Sou uma aspirante a escritora e trabalho em casa. Sigo perseguindo um sonho antigo e vejo, finalmente, a possibilidade de realizá-lo. Estou desafiada e realizada e não consigo me imaginar fazendo outra coisa nesta fase da vida.

5 comentários em “Perseguindo um sonho”

  1. > Seguir o sonho de me tornar uma escritora abrange muito mais do que apenas aprender a escrever. Tenho experimentado novas ferramentas e desenferrujado velhas habilidades de escrita. Há cerca de seis meses, ingressei em uma sessão de escrita apaixonada. Escrevo compulsivamente, com som de piano ao fundo, durante um período de tempo prolongado. Pode durar de cinco horas a doze horas.

    Quanta disposição! Não consigo escrever por tanto tempo assim! Você já leu os livros autobiográficos do Érico Veríssimo? (Gato em campo de neve) São muito bons, acho que você iria gostar das partes que ele fala sobre o processo de escrita.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.