Cinquenta tons de prata

À escrivaninha. 24°C lá fora. Céu nublado, tão cinzento. Grey.

Os cabelos crescem. Isto é muito bom. A raiz crescida revela os muitos fios brancos. Uma lista alva e prateada coroa a cabeça. E isto também é muito bom.

Ouço dizer que a prata é a cor do poder. Ter cabelos grisalhos, brancos, cinza ou prateados mostra sua confiança e revela o quão autêntica você é.

Parece-me que este visual prateado, no entanto,  só é tolerado em algumas mulheres poderosas e cheias de personalidade. Atrizes, personagens da Política e mulheres da alta sociedade exibem seu tons de cinza, branco e prata com estilo e elegância.

Para a maioria das mulheres comuns, entretanto, deixar os fios brancos à mostra é sinônimo de desleixo, preguiça e velhice. As pessoas exclamam, espantadas, “como você tem coragem de deixar os cabelos embranquecerem assim!“, em tom de reprovação e asco.

Gray Power

O documentário Branco, Prata e outros Tons, com roteiro de Elca Rubinstein e direção de Humberto Bassanelli, pretende mostrar as opiniões de mulheres reais que estão, literalmente, descobrindo seus fios brancos.

São mulheres em diferentes faixas etárias, etnias e grupos socioculturais que pararam de tingir os cabelos. Elas curtem o novo visual prateado e propõem uma mudança no paradigma social.

  • O que leva mulheres a adotarem  os cabelos brancos ao natural?
  • Que críticas, restrições e constrangimentos enfrentam?
  • De onde vem a coragem e a ousadia de quebrar padrões socialmente adotados de “esconder” os fios brancos quando começam a aparecer?

Muito bacana esta iniciativa. Você pode acompanhar os depoimentos na página do projeto, com fotos e entrevistas de mulheres que ostentam a cabeleira branca com um sorriso libertador no rosto.

Tenho cabelos brancos, e daí?

Meu cabelo é naturalmente muito escuro. Então os grisalhos são muito óbvios se eu deixá-los crescerem. Já estou há alguns meses sem tingi-los e não tenho a pretensão de escurecê-los tão cedo. Ou talvez, nunca mais.

Entretanto, esta minha aparente rebeldia à ditadura dos cabelos tingidos nada mais é que preguiça. Eu só tinjo os fios quando quero, e apenas porque gosto de cabelos coloridos. Ruivos, negros, achocolatados, prateados, rosados. São lindos. Só não curto os amarelos, que me perdoem as louras.

Na verdade, meu desejo nem é enfrentar a sociedade ditadora de regras para a aparência da mulher. Não me importo tanto com esta relação entre beleza, juventude e cabelos tingidos. Posso ter meus cabelos brancos e, ainda assim, contrariando a opinião popular, sentir-me bem, bonita e poderosa. Dona de meu nariz, ou melhor, de meus cabelos.

Meu objetivo, de fato, é livrar meu couro cabeludo da agressão de mais produtos químicos. Já não uso shampoo há mais de dois anos. E, desde que iniciei o desafio NoPoo – lavar os fios sem shampoo, estou em busca de uma solução mais natural para o tingir os cabelos. Não tingi-los mais é tão libertador e tão naturalmente saudável.

Prateados ou coloridos? Ainda não decidi se irei tingi-los novamente ou aderir ao Gray Power. É bastante provável, é muitíssimo provável que eu escolha esta opção. Denise em cinquenta tons de prata. Por ora, deixem em paz minhas cãs.  🙂

E você, qual sua opinião sobre os cabelos prateados das mulheres?

Foto de Gustavo Zambelli na Unsplash

About the Author

4 thoughts on “Cinquenta tons de prata

  1. Oi, Denise!
    Li o comentário da Lunna e penso que os cabelereiros são contra manter os fios brancos, pois assim eles perderão clientela.
    Essa relação com o poder é bem engraçada, já que as mulheres que conheço que possuem cabelos brancos, deixam por falta de tempo, muitas vezes porque estão em cargos que somente a visita de um cabelereiro nesse ambiente seria ideal, por não poderem se ausentar ou manterem a agenda. Mesmo assim, não combina! Daí o jeito é hidratar bem os cabelos e investir na manutenção do visual.
    No outro dia recebi a visita de uma amiga, que ela contou que ela mesma pinta os seus cabelos. Seu cabelo é longo e não estão manchados, pois esse é o risco de quem faz esse tipo de peripécia 😀
    O documentário que citou no texto é uma luz, assim como qualquer outra iniciativa que dê a mulher suporte para ir em frente para assumir seus fios brancos.
    Na Europa, as mulheres são mais resolvidas quanto a essa questão, mas aqui no Brasil, as mulheres são dominadas pelo universo masculino, que pela latinidade querem ver a mulher como retardadas – no sentido de um passo atrás do resto do mundo 😉 assim eles podem dominam pela imposião de uma vaidade, onde a mulher está sempre competindo com as outras para no final ele se gabar. Tem até um ditado que diz que é fácil identificar o homem que melhorou de vida, basta ver se ele trocou a mulher por uma mais nova. Acho que devemos dar um tapa nesses preconceitos!
    Assisti dois capítulos do seriado… Achei graça de uma parte em que questionam se um determinado rapaz visitou o Brasil…
    Beijus,

    1. Luma, você disse o principal: “devemos dar um tapa nesses preconceitos!”
      É bem comum, fora do Brasil, as mulheres usarem seus cabelos naturalmente, tanto quanto à cor natural, quanto à textura, sejam lisos ou sejam cacheados. Conheço mulheres que desejam deixar os grisalhos, mas os maridos se posicionam contra. Vence o machismo e a concorrência, como você colocou, com as outras mulheres.
      beijo, menina

  2. Eu faço parte do grupo que em cabelos grisalhos, tanto em homem quanto em mulheres. Nas muitas vezes em que fui ao cabeleireiro me perguntaram “pq vc não pinta?”… outros me lembraram de que cabelo branco releva a idade. bla bla bla.
    Não dou a minima, gosto de cabelos brancos. Acho lindo, sexy, e combina com a minha figura humana, atrevida e sagitariana. Não dou a mínima para o que dizem, não tenho tempo para ouvir argumentos contrários ao meu estilo.
    Adorei o post carissima
    bacio

    1. Lunna, já havia observado seus fios prateados. Tudo a ver com seu estilo e personalidade. Espero entrar para este grupo em breve. Também não dou atenção às críticas. Já nem me cobram tanto na família.
      No meu caso, gosto dos coloridos; mas, por outro lado, quero me livrar da química. Estou pensando a respeito. Enquanto isso, os brancos estão crescendo…
      beijo, menina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

You may also like these