Você vai me deixar falar?

À escrivaninha. 22°C lá fora. O céu está nublado, encoberto, cinzento. Quero meu azul de volta! Inexplicavelmente, sinto frio. Estive refletindo sobre se é fácil conviver comigo, agora que passei dos 60 anos. Eu penso que sim. Suponho que as minhas meninas podem discordar, mas, sou, sim, fácil de conviver. Preciso de bem pouco para viver e não gosto de conflitos. … Ler mais

Precisamos apenas aproveitar cada dia

À escrivaninha. 23°C lá fora. O sol continua a brilhar em um céu maravilhosamente azul. Sinto calor. Gosto disso. Fiz mingau de aveia e suscitei lembranças da infância e adolescência, na cozinha de mamãe. Nostalgia. A aposentadoria pode ser solitária. Não significa que seja triste. Estou confortável em minha condição de “não ocupada”. Algumas manhãs, percebo … Ler mais

Resiliência ante as humilhações cotidianas

À escrivaninha. 16°C lá fora. Céu cinzento. Os dias têm sido frios e chuvosos, chegando a alguns dígitos abaixo de 15°C. Isto é incomum para o Rio. Ultrapassar a meia-idade trouxe-me a compreensão e a consciência de certas particularidades da pessoa idosa. Trouxe-me, em consequência, a capacidade de ser resiliente após algumas pequenas humilhações cotidianas. Trouxe-me, … Ler mais

Pensamentos ou sentimentos?

À escrivaninha. 18°C lá fora. Céu cinzento. Chove fraco desde cedo. Continuo usando meias e agasalho. Tenho refletido sobre o que é mais importante, conforme envelheço: meus pensamentos ou meus sentimentos? Esta é a questão mais interessante da vida. Pensamentos são importantes, mas, com o passar dos anos, podem não ser tão confiáveis, podem se … Ler mais