Você quer feliz ou estar sempre certa?

À escrivaninha. 32°C lá fora. Céu nublado. Como nublados andam os dias neste país. Nos últimos dias, considerei, seriamente, o que eu quero manter em minha vida ou deixar ir embora em 2021. Refleti e me comprometi a focar em coisas importantes para mim, como pessoa. Se algo está esgotando meus níveis de energia, seja fisicamente, … Ler mais

Como me tornei uma velhinha

À escrivaninha. 29°C lá fora. Céu azul, com um aspecto nublado. Calor o dia todo, e, agora, no fim da tarde, um solzinho tímido se arrisca a aparecer. Esta semana, oficialmente, tornei-me uma velhinha. Aos olhos dos outros, penso eu. Percebi, atônita, em vários episódios, nos últimos dias, que sou vista como uma velhinha. Notei … Ler mais

Você deve colocar a máscara de oxigênio primeiro

À escrivaninha, 35°C lá fora. Céu azul limpíssimo, porém nublado. Parece verão, mas estamos na primavera. Um hábito fundamental para preservar nossa saúde mental é semelhante ao que ouvimos nas companhias aéreas: ” Coloque sua própria máscara de oxigênio, antes de ajudar outras pessoas”. Uma das coisas importantes sobre o envelhecimento é sabermos quando colocar … Ler mais

Por que não temos grandes horas de alegria

À escrivaninha. 26°C lá fora. Finalmente, o clima esquentou, às vésperas da primavera. Adoro calor, mesmo no inverno. Estou tentando espairecer a cabeça, nestes dias de distanciamento social. Nos últimos tempos, procuro me concentrar nos raríssimos momentos preciosos e não espero grandes horas de alegria. Encontrar pequenos prazeres diários é como descobrir a fonte de relaxamento … Ler mais

Sinais de que precisamos desacelerar

À escrivaninha. 28°C lá fora. Céu maravilhosamente azul! Que dia lindo, quentinho e agradável de inverno. O mundo está mudando e há um impulso para uma forma de vida mais simples. Uma maneira mais frugal de viver os nossos dias, é definitivamente alcançável. Precisamos de desaceleração, de um modo de vida mais suave. De aprender … Ler mais

Segredos para não se uma velha rabugenta

À escrivaninha. 19°C lá fora. Por que sinto tanto frio? Não quero me tornar a velha rabugenta, evitada por todos, por sempre estar reclamando de algo. A cada manhã, decido ser positiva e silenciosa e não me envolver com coisas alheias, que não me dizem respeito ou não precisam de minha intervenção. E falho miseravelmente. É … Ler mais

Como encontrar graça nos cabelos grisalhos

À escrivaninha. 22ºC lá fora, nublado, com chuvinha e friozinho carioca. Finalmente, inverno, no Rio. No reencontro com minha amiga Sandra, antes da pandemia, ela me disse que eu não havia mudado nada, estava muito bem e só precisava pintar o cabelo. Imagina, de jeito nenhum! Liberdade. É incrível como tentam nos obrigar aos artifícios … Ler mais

Como encontrar a magia do silêncio

À escrivaninha. 30ºC lá fora. Inverno, no Rio, com calor, paradoxalmente. Só tenho blusas de alças ou com mangas curtas. Se esfriar, o que parece pouco provável, precisarei de sobreposições e casacos. Sou bastante minimalista com vestuário. Sinto-me bem desleixada ultimamente. Penso que devo me arrumar, mesmo que não vá à esquina, em tempos de … Ler mais

Por que ter esperança de que tudo isso vai passar

À escrivaninha. 26° lá fora. Já anoiteceu, quando resolvi escrever. Ouvir a professora Débora Diniz falar sobre procrastinação me estimulou a blogar. A maioria de nós, de uma certa idade, está em casa, à espera de que seja seguro se aventurar na rua. Neste momento, mais de 100 mil mortes por COVID19 foram computadas aqui … Ler mais