Por milhares de dias nesta Terra

À escrivaninha. 19ºC lá fora. Inverno chegou, oficial e literalmente, e não estou sabendo lidar com o frio. Hoje completo 23376 dias vividos na Terra. Sou grata por ter quem amo saudável, em tempos emocionalmente sombrios. Parafraseando Lya Luft, eu preciso fazer hoje o que desejo tanto, quero abraçar hoje as pessoas que amo. Tenho … Ler mais

O espelho nos lembra de que os anos estão passando

À escrivaninha. 21ºC lá fora. Céu encoberto, maravilhosamente azul, salpicado de nuvens. Um vento frio levanta as cortinas e me arrepia. Junho inicia frio e triste, marcando a chegada da metade do ano. E me lembrando de que também já ultrapassei a metade da vida. Chega um momento, em nossa caminhada, em que a idade … Ler mais

Cabeças prateadas e mãos franzidas revelam almas iluminadas pelo tempo

À escrivaninha. 24ºC lá fora. Um vento tão frio obriga-me agasalhos e meias. Após a meia-idade, calor e frio oscilam o tempo todo. Trocadilho infame… Ao longo de minha vida, conheci pessoas interessantes e imaginei que manteríamos a amizade para sempre. O tempo passou, nos separamos, perdemos o contato e a amizade se desfez. Há … Ler mais

Como tento encontrar estímulo para envelhecer mais positivamente?

À escrivaninha. Faz 30°C lá fora. Outono ameno, já que não sinto calor agora. Ultrapassar a meia-idade não me trouxe a tal sabedoria. Trouxe-me, antes, mais agudeza de espírito diante das situações. O que julgava relevante, anos atrás, já não tem tanta importância. A capacidade de me libertar de algo que me importunava é um … Ler mais

Como me tornei uma velhinha

À escrivaninha. 29°C lá fora. Céu azul, com um aspecto nublado. Calor o dia todo, e, agora, no fim da tarde, um solzinho tímido se arrisca a aparecer. Esta semana, oficialmente, tornei-me uma velhinha. Aos olhos dos outros, penso eu. Percebi, atônita, em vários episódios, nos últimos dias, que sou vista como uma velhinha. Notei … Ler mais